Acomodações / amenities

Lamentamos, este alojamento não tem disponibilidades criadas. Contacte clicando em (pedir informações) do lado direito

Geral

TIPOLOGIAS DAS CASAS

2 Casas T1:

Casa com capacidade até 4 adultos

Cozinha totalmente equipada

TV e Internet

2 Estúdios mesanine:

Estúdio em Open space com mesanine e capacidade até 3 adultos

Cozinha totalmente equipada

TV e Internet

Características:

Exterior: Jardim, churrasco, terraço, móveis de jardim.

Interior: cozinha equipada (máquina de lavar roupa, microondas, frigorifico, fogão), quarto de casal totalmente mobilado; uma casa de banho completa; sala mobilada com televisão, um sofá cama duplo, divã, tábua e ferro de engomar.

Localização: Junto ao Rio Ceira e Parque do Cerejal.

Fantástica vista para o Rio Ceira e para a Praia Fluvial do Cerejal.

Actividades: Ótima localização para passeios pedestres, passeios de bicicleta, pesca, canoagem, desportos aquáticos.

Endereço: Av. Engenheiro Álvaro de Paula Dias Nogueira, nº 8,

3330-331 – Góis

Mais informações: 8 dias de aluguer mínimo de 15 de Junho a 15 de setembro; no restante período 2 dias de aluguer mínimo. Animais não permitidos.

Máximo de 5 pessoas por apartamento.

Animais de estimação

Sob consulta

Hora para check-in

das 17:00 hrs às 22:00 hrs

Hora para check-out

até ás 13:00 hrs

Arganil

ArganilÉ sede de um município com 332,84 km² de área e 12 145 habitantes (2011),subdividido em 14 freguesias. O município é limitado a norte pelos municípios de Penacova, Tábua e Oliveira do Hospital, a nordeste por Seia, a leste pela Covilhã, a sul por Pampilhosa da Serra e por Góis e a oeste por Vila

História e cultura

Onde a história começa Os vestígios mais antigos da história do concelho de arganil situam-se na Lomba do canho e Dolmem dos Moinhos de Vento, bem perto da vila de Arganil. Pela cronologia da sua construção e ocupação, centrada nos segundo e terceiro quartéis do século I a.C., bem antes da criação da província da Lusitânia, a instalação militar corresponde a uma fase de apropriação do território pelos romanos. Não já aos primórdios da conquista e submissão das populações locais, mas a um segundo momento de controle e exploração de recursos, sob a vigilância de uma guarnição militar. Também em Coja é possível descortinar alguma ocupação em épocas mais antigas. As riquezas auríferas do rio Alva e da Ribeira da Mata, de cuja exploração desde tempos antigos se reconhecem múltiplos testemunhos nas suas margens, terão sido um fator de atração de gentes para esta região, situada num ponto nodal da rede viária. Não são muitos, nem muito significativos os vestígios da época romana que se encontraram em Coja. Aqueles que se conhecem, sobretudo localizados junto à via que vinda de Coimbra (Aeminium) passava por Lomba do Canho, Qta. do Mosteiro, Lomba dos Palheiros (Vale Moleiro), Vale de Carro, Sra. da Ribeira, Coja, franqueava o Rio Alva, em Coja e rumaria a Norte para a Bobadela e/ou a Nordeste na direção do Castro de S. Romão (Seia), parecem corresponder a edificações relacionadas com a exploração dos recursos auríferos no Rio Alva.

Ver mais

Reservas online / datas disponíveis

VER DISPONIBILIDADE:



O Portal de Reservas SITIOS NOBRES utiliza o Motor de Reservas de AvaiBook, que lhe permite reservar de modo fiável devido ao seu Modelo de Segurança e Garantias:

  • Ao pagar por meio dos gateways de pagamento seguro de AvaiBook, o sistema encarrega-se de tutelar o seu pagamento para garantir o cumprimento da política de cancelamento. Se cancelar a reserva dentro do prazo, a devolução de quaisquer pagamentos é garantida.
  • Todos os seus dados viajam seguros no Portal SITIOS NOBRES, porque são protegidas por certificado de segurança SSL.
  • A SITIOS NOBRES tem na AvaiBook uma terceira entidade de confiança que lhe permite reservar com Condições de Reservas estabelecidas que podem ser consultadas no acto da Reserva, e que ambas as partes (hóspede e alojamento) se comprometem a respeitar.

Licenças e Registos DL 80/2017 - Artigo 42.º -A

O que visitar perto do alojamento

O QUE VISITAR PERTO...

As Aldeias de Xisto de Góis

O projeto das Aldeias do Xisto nasce em 2000, assentando em bases como a preservação da cultura, o combate à desertificação, a valorização do património arquitetónico construído, a dinamização das artes e ofícios tradicionais e a preservação da paisagem envolvente.

A Rede das Aldeias do Xisto é um projeto de desenvolvimento sustentável de âmbito regional, o qual é regido pela ADXTUR – Agência de Desenvolvimento Turístico das Aldeias do Xisto. Fruto do projeto, vinte sete aldeias do xisto, ao longo do tempo, foram sofrendo alterações significativas de requalificação que fizeram aumentar o seu potencial humano de desenvolvimento.
O concelho de Góis possui quatro do conjunto de aldeias, designadamente, as aldeias de Aigra Nova, Aigra Velha, Comareira e Pena.

Inserido na rede de Aldeias do Xisto, este agrupamento de quatro aldeias do Concelho de GóisComareira, Aigra Nova, Aigra Velha e Pena – está integrado numa estrada panorâmica que as ligará ao Trevim, o ponto mais alto da Serra da Lousã (1204 metros de altitude), a Santo António da Neve e a outras aldeias situadas na vertente oposta da serra. É com os olhos postos no alto que se agradece a existência destas aldeias-memória e a sua recente e progressiva transformação em aldeias-futuro, a chamar para cada uma delas uma nova alma que as belíssimas pedras de xisto, por si só, não podem conter.

É obrigatório parar aqui e deixar-se envolver pelo projecto do Eco-Museu Tradições do Xisto e visitar os seus diversos Núcleos. A simpatia é tão contagiante como é serena a paisagem. É bom saber que, no fundo destes vales, veados e javalis continuam a subsistir imperturbados, como que protegidos do mundo.


( Textos e imagens : https://aldeiasdoxisto.pt/ )
( Info adicional: Municipio de Gois )